Retirar do Caixa 2 de pacote anticrime é derrota, diz advogado especialista em segurança

Para Marcos Espínola, crime é como um foco de corrupção que atinge em cheio à sociedade

Por ADRIANA CRUZ

Marcos Espínola
Marcos Espínola -

O pacote anticrime, apresentado ao parlamento pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, vai tramitar primeiro no Senado. Mas o advogado Marcos Espínola disse acreditar que deveria começar pela Câmara dos Deputados, que representa o povo, e não pelo Senado, onde a representatividade pertence aos estados.

Espínola critica a retirada do crime de Caixa 2, tratada pelo especialista como um foco de corrupção que atinge em cheio à sociedade.

Com a palavra - Marcos Espínola, advogado especialista em segurança

De que forma a crise entre Câmara e governo prejudica o pacote?

Um dos prejuízos são os deputados não terem o esclarecimento sobre o pacote. O Moro tirou o crime de Caixa 2, um dos males para a sociedade.

É uma derrota?

O Caixa 2 representa desvio de dinheiro público, deixou o projeto aleijado. De que forma? São feitos contratos com empresas superfaturados. É corrupção que atinge em cheio a segurança, a saúde, a educação, direitos básicos dos cidadãos.

Além do Caixa 2, qual o pecado capital?

O problema do Brasil não é só lei, falta aparelhamento do estado para punir. As leis que o Moro quer mudar são eficazes.

Exemplo?

A Lei de Execução Penal funciona. A condenação em segunda instância está aí, olha o ex-presidente Lula preso. Enquanto isso, os processos são morosos. Tenho casos de homicídio com 19 anos.

Comentários