Acusados das mortes de Marielle e Anderson vão direto para o banco dos réus

Penas podem chegar a 64 anos de prisão

Por ADRIANA CRUZ

Ronnie Lessa (E) perdeu a perna esquerda em atentado. Já Élcio Queiroz foi expulso da PM em 2015
Ronnie Lessa (E) perdeu a perna esquerda em atentado. Já Élcio Queiroz foi expulso da PM em 2015 -

Rio - Fontes do Tribunal de Justiça garantem que o juiz do 4º Tribunal do Júri, Gustavo Kalil, vai mandar os acusados das mortes da vereadora Marielle Franco, do Psol, e de seu motorista Anderson Gomes direto para o banco dos réus. Kalil decretou a prisão preventiva do PM reformado Ronnie Lessa, apontado como o atirador, e do ex-PM Elcio Vieira de Queiroz, motorista do veículo usado no crime.

Ao receber a denúncia do Ministério Público, com base nas investigações da Divisão de Homicídios, Kalil tem que citar os acusados e  intimar seus advogados para apresentar defesa preliminar no prazo de dez dias. Lessa e Queiroz vão  responderão pelos crimes de homicídio torpe, tentativa de homicídio contra a assessora de Marielle, Fernanda Gonçalves Chaves, e receptação. As penas podem chegar a 64 anos.

Após a apresentação das defesas dos réus, o magistrado vai analisar o processo e marcar uma audiência de instrução e julgamento onde todas as testemunhas serão ouvidas para, só então, decidir se os dois serão submetidos a júri popular, formado por sete cidadãos já alistados na Justiça.    

 

Comentários