Mais Lidas

Candidato à presidência da OAB que não pode receber salário luta por vínculo empregatício

A ação do advogado contra a Ordem tramita desde 2010 na Justiça do Trabalho. Ele alega ter sido professor da Escola Superior da Advocacia dede 1995, com salário de R$ 7.918,12. Pede décimo terceiro, FGTS e férias

Por ADRIANA CRUZ

Rio - O advogado Luciano Viveiros de Paula tem duas frentes abertas perante a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio. Candidato à presidência, que por lei não pode receber salário, ele luta na 53ª Vara do Trabalho para garantir seu vínculo empregatício na instituição.

A ação de Luciano contra a Ordem tramita desde 2010 na Justiça do Trabalho. Ele alega ter sido professor da Escola Superior da Advocacia dede 1995, com salário de R$ 7.918,12. Pede décimo terceiro, FGTS e férias. Em caso de vitória para a presidência, Luciano autorizaria o pagamento para ele mesmo, sendo dono de um cargo com poder mais sem remuneração?, questiona-se. É bafafá na certa.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários