Caso Marielle: Orlando de Curicica fica frente a frente com acusador

PM diz que ex-policial está envolvido no assassinato na vereadora e do motorista Anderson Gomes

Por ADRIANA CRUZ

Marielle foi assassinada junto com seu motorista no último dia 14 de março
Marielle foi assassinada junto com seu motorista no último dia 14 de março -

Rio - O ex-PM Orlando de Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, vai ficar frente a frente dia 3 de agosto, às 13h, em uma audiência por viodeoconferência, com um PM que o acusa de estar envolvido no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista dela Anderson Gomes, executados em março. Foi o que decidiu o juiz Alexandre Abrahão, do 3º Tribunal do Júri a pedido da Delegacia de Homicídios (DH) que investiga as mortes. Orlando Curicica está preso na unidade federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, e também é acusado de mandar matar Wagner Raphael de Souza, o Dadi.

O crime, cometido em junho de 2015, teria ocorrido porque a vítima alugou um terreno para instalar um circo sem pedir autorização à milícia que seria chefiada por Orlando. Os depoimentos serão em sigilo por solicitação do Ministério Público. Orlando nega participações nos crimes. A testemunha incriminou o vereador Marcello Siciliano (PHS), que rechaça envolvimento nas mortes de Marielle e Anderson.

A audiência por videoconferência dia 3 de agosto era só para ouvir o depoimento de Orlando Curicica sobre a morte de Dadi. Ele ainda não foi pronunciado, ou seja, não virou réu. Mas foi direcionada para ajudar nas investigações do caso Marielle e Anderson por pedido da DH.

Comentários

Últimas de Justiça & Cidadania