O VAI E VEM DO ÓRGÃO ESPECIAL

Por O Dia

O destino de Luiz Guaraná (foto) como conselheiro do Tribunal de Contas do Rio virou um vai e vem. Em 2015, o desembargador Mauro Dickstein decidiu pela cassação. Decisão confirmada pelo plenário. Mas em outubro de 2016, Nagib Filho entendeu que a nomeação em 2014 - decidida pela Câmara de Vereadores que alterou a Lei Orgânica - não valia, mas ele deveria ser mantido. Em julho, o Órgão Especial cassou Guaraná. Sexta-feira, o desembargador Maurício Caldas pediu para deixar o caso por motivo íntimo. Há dois recursos para serem julgados.

Comentários